DE VOLTA AO COMEÇO Nomeação de Ciro Nogueira deve facilitar reaproximação de Aguinaldo com o Planalto

O deputado Aguinaldo Ribeiro já esteve mais distante do governo Bolsonaro. Especialmente após ser escanteado, dentro de seu próprio partido (Progressista), na recente disputa pela presidência da Câmara. Como se sabe, os progressistas fecharam com Arthur Lira (AL), que acabou eleito.

Aguinaldo também acusou o golpe, quando foi apeado da relatoria do projeto de Reforma Tributária, por determinação de Arthur Lira. Recentemente, líderes do PT chegaram a sinalizar que, durante visita à Paraíba, marcada para o final deste mês, Lula pretende se encontrar com Aguinaldo para tratar das eleições do próximo ano.

Mas, aparentemente, esse tempo do distanciamento de Aguinaldo está passando. A iminente nomeação do senador Ciro Nogueira para a Casa Civil, fecha o apoio, não apenas do Progressista, mas do chamado Centrão, do qual Aguinaldo é um dos expoentes, e pavimenta sua reaproximação com o Planalto.

Contribui para a reaproximação o fato do próprio presidente sinalizar pelo retorno ao Progressista. Quem já acusou o novo momento foi a senadora Daniella Ribeiro, ao afirmar que “Paraíba vai ganhar com a nomeação do colega no governo federal”. Ou seja, estreita a relação dos caciques progressistas do Estado com o governo.

Movimentação – Ciro deve assumir a Casa Civil, atualmente titulada pelo ministro Luiz Eduardo Ramos, que deve ser deslocado para a Secretária-geral da Presidência da República, hoje comandada por Onyx Lorenzoni.

A movimentação será complementada com a recriação do Ministério do Trabalho para acomodar  Lorenzoni. Ciro Nogueira é um dos principais aliados do Planalto, inclusive com atuação contundente de sua defesa na CPI da Pandemia.