QUEM PODE MAIS… Podemos tira comando de Veneziano no partido e prepara filiação de Moro para disputar a presidência

O Podemos, partido que opera nacionalmente pela filiação do ex-ministro Sérgio Moro, mudou de cara na Paraíba. E assumiu alinhamento com o prefeito Cícero Lucena e o governador João Azevedo, após a destituição do vereador Galego do Leite, indicado para o posto pelo senador Veneziano Vital do Rego.

O advogado Júnior Pires ( Jair de Queiroz Pires Júnior), que é secretário-executivo do Procon em João Pessoa, assume o comando do partido, com o aval da presidente nacional, a deputada Renata Abreu (SP).

O Podemos tem, na Paraíba, vários prefeitos, vereadores e cinco deputado estaduais, além da secretária Ana Cláudia (Articulação), esposa do senador Veneziano.

Júnior Pires assume o comando do Podemos anunciando “a missão de fortalecimento e de trazer mais lideranças políticas, prefeitos, vereadores, deputados”.

Logo que assumiu o partido, o novo presidente sinalizou que pretende “estreitar ainda mais os laços com o governador João Azevedo e o prefeito Cícero Lucena, pois o Podemos é base dos dois governos e vai continuar nessa posição visando as eleições do próximo ano”.

Moro – No plano nacional, o partido se prepara pra recepcionar a filiação de Sérgio Moro, inclusive com amplas possibilidades de disputar a presidência da República, em 2022.

Moro esteve em Brasília, na última segunda (dia 12), e se reuniu com a deputada Renata Abreu, iniciando os entendimentos de olho nas eleições do próximo ano, com aval do senador Álvaro Dias (PR), que foi candidato no pleito de 2018.

“O eleitorado que se diz indeciso, sobretudo o que não quer nem Bolsonaro nem Lula da Silva, é grande, segundo as pesquisas, e nós podemos crescer muito com a candidatura de Moro, colocando-se com a verdadeira 3ª via nas eleições do próximo ano”, afirmou Renata.

Diretoria – A nova direção do Podemos ficou composta da seguinte forma: Júnior Pires (presidente), deputado estadual Branco Mendes (vice-presidente).

Como membros titulares, os deputados João Gonçalves e Edmilson Soares; e como suplentes, Lindolfo Pires e Trócolli Júnior. O empresário Victor Castro, genro de João Azevedo, ficou como secretário-geral.