Rompimento de vereador do PSB (com Cartaxo) pode ser prenúncio de afastamento do governador



Vereador Renato Martins

É mais ou menos a crônica de um rompimento anunciado. Ao formalizar seu afastamento da bancada do prefeito Luciano Cartaxo, na Câmara Municipal, o vereador Renato Martins apenas concretizou o que o seu partido, o PSB, e o próprio governador Ricardo Coutinho, já vêm telegrafando desde que passaram as eleições e se viu que a aliança com o PT fora apenas um negócio de ocasião.

Dizer que o prefeito Cartaxo não trata bem o funcionalismo, por conta do reajuste de 3% e da greve dos professores, por exemplo, mostra pouca criatividade do parlamentar. Ora, o próprio Governo do PSB, seu partido, não trata o funcionalismo a aumentos de 1%? Dizer que o prefeito não impõe a climatização dos ônibus em João Pessoa é outra falácia como tantas outras. Um pretexto apenas.

Se bem que o vereador Renato já havia mandado um aviso a Cartaxo e ao PT, ao afirmar, desde o início do ano, que aliança era apenas um teatro. Depois, o PSB e o próprio governador mandaram seus sinais de fumaça, recusando a participação de militantes na administração ,municipal. Eles não poderiam ser mais eloquentes, e Cartaxo só não entendeu o recado se não quis entender.

Claro que o RC vai afirmar que Renato age por conta própria. Mas, quem conhece o governador e sua prática, sabe que o vereador jamais agiria sem antes consultar o chefe. Na verdade, é apenas parte da estratégia do governador que, claramente, prefere a aliança com o PMDB, inclusive sinalizou muito bem suas intenções, quando definiu os espaços para cada um dos partidos em sua gestão.